Beleza Escondida


Beleza Escondida 

O sol começa a nascer apontando um novo dia, chega sereno e vai iluminando a terra, ilumina as águas, sua luz bate nos rostos alegres, nos rostos tristes, afinal de contas tem dias que fazem uma sombra desconfortável, mas ela não dura pra sempre.

Mas existem rostos que se escondem, tentam se ocultar em meio a multidão, em meio a vida, passam sorrateiros, se escondem por acharem que não tem beleza, que não fazem a diferença, que a sua unicidade os tornam diferentes de todos.

Contam com a insipidez da vida, de um estado que parece que não passa, como um ciclo vicioso, um loop, está tudo bem, é normal, uma vida normal.

Sim, a maioria das pessoas vivem assim, porquê mudar, pra quê mudar, levanta, vive, deita e dorme todo dia.

Em meio a selva de pedra caminha apressada, esquivando-se de obstáculos, caminhando para a sua tarefa diária, carrega consigo sua beleza escondida, mas usa seu disfarce, não quer parecer diferente.

Pessoas belas são como flores, com cores, mas também com suas dores. Enquanto caminham o sol sobre suas cabeças fazem com que aquele calor que aquece o coração gere sementes, é inevitável, sementes são deixadas sem querer, por onde quer que passem, uma marca única que cada ser humano tem, existe algo belo e escondido. 

Quando nota sementes caindo pelo chão, começa disfarçadamente a colher, a guardar em seus bolsos, para depois tentar recolocar em seu coração. 

Falo de corações feridos, corações que tiveram profundas marcas, sulcos, perfurações, corações rachados, alcançados por um amor incondicional, um amor que refaz, um amor que brota através dos buracos deixados pelos ferimentos.

Ele brota e se ramifica, raízes verdes como de uma trepadeira o envolve, e o costura, une as partes rachadas.

O sol se põe, a esta altura já está em casa, se prepara para dormir, o luar passa por uma fresta da janela direto em seu peito, como em joão e o pé de feijão, sob a luz do luar se ramifica ainda mais e aquele coração fica cada vez mais unido a si mesmo, e gera mais flores, esta é a reparação que um jardineiro que conheço faz, ELE trabalhou em Caná da Galileia, os ramos são muitos, as flores são muitas, já começa a acordar diferente....

Já começa a perceber o sol, já começa a perceber a vida, já começa a perceber o tempo...

Há o tempo, moeda cara, não me canso de falar sobre seu valor, é o único investimento que não se pode reaver. Ninguém consegue negociar mais tempo, ninguém compra mais tempo, o tempo você troca, você faz uma permuta com a vida em troca de algo.

Alguns trocam o tempo por dinheiro, outros não se importam como gastam, mas tem outros... que percebem o seu valor e começam a utilizá-lo de uma forma mais sábia.

Conheço homens que viraram pais maravilhosos por investir TEMPO, conheço famílias felizes por investirem TEMPO, conheço pessoas que aprenderam a ser maravilhosas por investirem TEMPO.

Novamente o sol nasce, aquela pessoa que escondia as sementes por vergonha, por não achar que elas eram importantes, passou a distribuí-as, ofertá-las, a esparramá-las pelas calçadas da vida.

Passaram-se semanas, o sol nasceu, enquanto olho para a cidade atento, vi que alguém passou por uma determinada calçada, a calçada da vida, e de uma rachadura, estava nascendo uma margarida, florida, amarela como o sol. 

Aquela a quem o coração foi reparado já não esconde mais sua beleza, pois é impossível contê-la.

A beleza ora escondida foi exposta e o jardineiro partiu para cuidar de outro jardim destruído pelo tempo e o vento!.

Autor: Anderson Ribeiro Sousa


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vale do Trovão

A represa!

Quando te Conheci