Um Exímio Escalador



Um Exímio Escalador

Sim, já ouvi falar DELE, de sua imensidão e vastidão.
Alguém que esculpiu essas cadeias de montes não só para embelezar a Terra, mas também para que servisse de suporte e esperança para homens destroçados pela vida . .
Ou a vida te destroça em algum momento ou ela te mata, se você está lendo estas linhas então é sinal de que ainda está vivo.

Perceba a forma destes picos, parecem feitos à mão, esculpidos por alguém, por um gigante, por algo maior.

Suas formas e nuances demonstram de forma sublime seu poderio em resistir às tempestades.

Eles foram criados para aqueles que em algum momento empreenderam fuga de suas vidas.

Eles foram criados para que pudéssemos tocar os céus e sentir uma conexão com algo que chamamos de natureza, eu, talvez ingenuamente para alguns, chamo de criação.
Fugi para o alto, para os cumes, só me restavam elas, pois eu conhecia uma antiga lenda que dizia:

"Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.
Salmos 121:1"

Mesmo em meio a tormenta eu corri, me rastejei em meio a lama, com o rosto sujo e sangrando eu me lembrei da promessa e me rastejei, fui subindo, passei por espinhos, e pedras pontiagudas.

Quando caí de um precipício e pensei que iria morrer fiquei dependurado em uma corda que apareceu envolta em minha cintura.
Um escalador me salvou e ele me acompanhou durante todo o trajeto, até nos momentos em que o ar rarefeito me cansava e eu quase ia loucura por causa do mau da montanha, aquele exímio escalador me ajudou na aclimatação. A cada 1000 metros de altitude parávamos.

Ele me levou ao topo e descarreguei sobre ele todas as minhas mazelas, todas as minhas feridas, tudo o que havia de ruim enclausurado. .
Ele ouviu tudo e pacientemente me levou ao topo.

Quando cheguei lá eu já estava seco e limpo por causa da chuva que peguei pelo caminho.

Cheguei em paz e pude ouvir o grito do silêncio.
Um grito que falava alto em meu coração e espírito: PAZ

Foi que percebi uma coisa, durante todo o trajeto eu me perguntava como aquele exímio escalador conseguia subir montanhas com os pulsos e os pés furados?

Aí então eu percebi quem era ELE... 

Autor: Anderson Ribeiro Sousa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vale do Trovão

A represa!

Quando te Conheci