A represa!

 


A represa!

O que te passa no coração?

Confusão, tempestade, dor, sofrimento?
A confusão do ocorrido, as perguntas não respondidas, a mente turva, o caminho apagado...

A tempestade, estrondo na mente e no coração, você ficou sem chão, a vida acabou em uma explosão...

A dor, como um osso quebrado em diversos pedaços, uma desesperadora dor que te leva a um desmaio...

O sofrimento, torce suas entranhas, consome sua alma, derrama suas lágrimas, desesperança no amanhã...

Deixa eu te contar sobre um caminho...

A vida é como um rio, de uma pequena nascente a água brota do chão, e vai fluindo em um pequeno fio descendo a montanha, desde o início ela bate de frente com a primeira pedrinha e percebe que não consegue transpassar, por ter pressa, então ela contorna o obstáculo.
Continua correndo caminho abaixo, trazendo o som da vida, tirando a sede de outros, em alguns momentos estará turva, então vai de encontro a areia e a sujeira é depositada no fundo, e segue seu rumo.

Enquanto percorre, pessoas passam pelo rio, umas ficam, se banham um pouco, outras só passam, algumas nem entram, mas o rio não pára, segue seu caminho, pois a vida continua.
A represa de pedra o retem, ele quer seguir mas não consegue, ele precisa continuar seguindo, mas parou, água parada em uma profunda represa, parece que vai apodrecer, por não estar em movimento, um cheiro desagradável proveniente do lodo invade o ambiente, o rio pensa que acabou.

Mas um volume maior de água desce em seguida e se mistura a ele, uma doce voz sussurra no ouvido do rio e diz, “para ir adiante deixe que eu te transborde, pois eu sou o criador da água”.
Então o rio entendeu a mensagem e se encheu, seu nível começou a subir, suas águas começaram a se agitar, batia nas pedras e algumas gotas eram arremessadas além da muralha rochosa, todo o aquele volume de água sobe de uma maneira monstruosa e como de fossem braços subindo um muro e saltando em seguida no precipício, ela se joga e vira uma imensa e maravilhosa cachoeira.

Sua força e beleza atrai muitos, alguns se arriscam em suas correntezas, e ela segue seu caminho, confiante, certa de que chegará ao mar.

Então ao descer o vale e depois de muitos quilômetros, a água bate de frente com algo que ela não espera, uma represa construída pela mão humana, um mecanismo que pára o seu curso, e impõe um caminho que ele, o rio, não quer seguir.

Tudo está acabado, tudo perdido, tudo mudado, tudo estagnado.

Então o criador da água lhe traz outra mensagem e lhe diz, “o homem pensa que pode parar o meu agir e o curso de um rio, mas eu faço o que quero”. "Seu aprendizado de hoje será PACIÊNCIA, com ela você irá transpor esta barreira pelas fissuras da represa, mas precisa se esvaziar de si mesmo para me encontrar do outro lado. Então o rio em pequenas gotas começou, com muita paciência a transpor a represa, se encontrando com o leito do rio do outro lado do muro de concreto ao ponto de que cada gota ao tocar naquela água se tornava grande.

O rio é a sua vida, Deus não quer que você pare, não quer que você desista, siga o curso do vale, vá em direção ao mar, às muitas águas.

Autor: Anderson Ribeiro Sousa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vale do Trovão

Quando te Conheci