O dia em que a Terra Parou



O dia em que a Terra Parou

Este texto é de um presente que espero ser passado em breve.

Então me propus a escrevê-lo como se já estivesse no passado.

No dia em que a Terra parou eu estava lá, minha vida a mil por hora, cheio de planos e planejamento parou.

Uma nuvem negra vinha do oriente, da Ásia (China).
Aquele manto negro cobriu toda a terra, crianças não brincavam mais nas ruas, beijos e abraços foram substituídos por máscaras e luvas.

O sorriso perdeu o lugar para o medo, pessoas perderam empregos, pais solteiros não podiam mais ver seus filhos com medo de levarem a praga para os seus.

E o pior, milhares de pessoas morreram, em sua maioria matriarcas e patriarcas, também pessoas com saúde frágil foram presas fáceis para a besta-fera.

Foram dias tenebrosos, tal qual foram os dias da peste negra.

Aos que venceram tiveram que lutar contra o monstro invisível e contra os pensamentos que os assaltavam durante o isolamento.

Foram dias de incerteza, dias de choro, foram dias em que as pessoas começaram a olhar para o outro.

Começaram a ver o valor do abraço e do beijo, do viver em família, valor ao emprego, valor ao cuidado.

Algo chamado esperança nascia entre as fendas das calçadas.

Orações foram ouvidas, pois o Deus do Céu proveu de sabedoria aos homens e erradicaram o monstro.
Doutores com seus PHDs foram sustentados por joelhos em oração espalhados pelo mundo.

O que foi aprendido durante aqueles dias espero que esteja na tábua do coração de todos.

Que nunca esqueçamos o que aprendemos.

"Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e eu os ouvirei."
Jeremias 29:12

Autor: Anderson Ribeiro Sousa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vale do Trovão

A represa!

Quando te Conheci